Jornal Opinião

Switch to desktop Register Login

Inicio

Pastor Marcos Pereira pode ter ligação com Fernandinho Beira-Mar

 

Uma conversa divulgada pelo Fantástico no último domingo (11), entre os traficantes LuizFernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar e Márcio Santos Nepomuceno, o Marcinho VP, de dentro do presídio de segurança máxima de Catanduvas, no Paraná, revelou informações importantes sobre os diversos acontecimentos envolvendo o pastor Marcos Pereira e os ataques realizados contra a ONG AfroReggae. A ligação é do dia 10 de maio e aconteceu dentro do parlatório.

Durante as gravações Marcinho VP cita uma transferência que está tentando conseguir para o presídio do Maranhão.  Fernandinho Beira-Mar apoia o comparsa e oferece duas ajudas que chamaram atenção da polícia. O traficante afirma que possui ligação fortíssima com um desembargador e ainda sugere que ele conte com o pastor Marcos, que tem igreja no Estado.

Foto: Reprodução Fantástico

Foto: Reprodução Fantástico

Marcos Pereira, líder da Igreja de Deus dos Últimos Dias, foi preso no último mês de maio acusado de estuprar fiéis, cometer homicídio, ter ligações com tráfico de drogas e participar de lavagem de dinheiro. Além disso, Marcos também é suspeito de cometer o ataque contra a ONG AfroReggae, que  foi vítima de incêndio e alvo de tiros há pouco mais de um mês.

Ao citar o nome do pastor, Marcinho VP relembra o assunto referente ao ataque feito contra a ONG e afirma que o pastor é inocente.  De acordo com VP, José Júnior, líder da ONG, comprou as testemunhas que acusaram o pastor. Beira-Mar concorda com o comparsa e faz um pedido: "Tinha que mandar um Salve lá pra ele". Salve, que de acordo com a polícia significa ataque, na linguagem dos bandidos.

Foto: Reprodução Fantástico

Foto: Reprodução Fantástico

De acordo com o advogado de defesa do pastor, Luiz Carlos Silva Neto, a gravação é uma prova para inocentar Marcos das acusações feitas por José Júnior e afirma que o pastor está sofrendo injúrias. Porém, durante a gravação os traficantes deixam claro a ligação que possuem com o pastor e se mostram íntimos quando se referem a ele.

José Marcos negou a acusação de ter comprado testemunhas e afirma que já sabia que sofreria retaliações. “A situação hoje é uma situação muito difícil, muito delicada, e não é delicada para mim, é delicada pra quem é do AfroReggae e mora lá dentro”, destaca o líder da ONG em entrevista ao Fantástico.

Copyright Jornal Opinão - Todos os direitos reservados. Feito por www.vectorzero.com.br

Top Desktop version